Não é novidade para ninguém que as compras de supermercado estão pesando mais no orçamento das famílias. Com a crise por que passa o país, itens que antes eram consumidos diariamente vão aos poucos se tornando produtos de luxo nas prateleiras das cozinhas brasileiras. Dessa forma, é preciso estar muito atento aos valores cobrados por alguns itens. Muitas vezes, o consumidor brasileiro encara um valor exorbitante em determinado produto por considerá-lo insubstituível, enquanto ele pode ser trocado.
Pensando nisso, para ajudá-lo a economizar, o Procon de Linhares divulgou nesta quinta-feira (05) mais uma pesquisa de preços de produtos alimentícios, de higiene-limpeza e carnes, de açougues e supermercados do município. O órgão, que realiza o trabalho semanalmente, tem o intuito de orientar os consumidores nas compras. E a ordem continua sendo uma só: pechinchar para economizar.
E neste início de mês dois produtos encabeçam o ranking dos novos vilões da lista de compras: o leite em pó e a manteiga. No caso do leite em pós, por exemplo, há uma diferença de R$ 2,80 entre o menor e o maior preço nos cinco estabelecimentos pesquisados pela equipe do Procon. Já a manteiga, aquela que combina bem com um pão quentinho, também apresentou alta. A diferença é de R$ 0,44 entre um supermercado e outro.

Prazo de Validade

Além de pesquisar para comprar o leite em pó e a manteiga com menores preços, o Procon de Linhares alerta para alguns supermercados que costumam reduzir os preços de alimentos que se aproximam de sua data de validade. A prática não é ilegal, mas é preciso atenção na hora de aproveitar esse tipo de promoção. O consumidor pode ser induzido a comprar uma grande quantidade do produto para aproveitar o preço. Nesse caso, o cliente corre o risco de não conseguir consumir os alimentos dentro do prazo de validade, gerando prejuízo.

“É importante salientar que não pode haver diferença de preço entre pagamento em dinheiro e por meio de outras formas aceitas pelo estabelecimento. O supermercado não é obrigado a aceitar cheques, mas precisa avisar o consumidor disso previamente e de maneira clara para evitar constrangimentos”, esclareceu o diretor do Procon Municipal, Geraldo Roza.

CONTINUE LENDO APÓS A PUBLICIDADE

O registro do preço do produto no caixa é outro ponto a se prestar atenção. “Quando registrar sua compra no caixa do supermercado, preste atenção se os valores cobrados são os mesmos anunciados nas gôndolas. Se houver alguma divergência, passa a valer o menor preço informado”, alertou o diretor.

Além disso, o supermercado não pode vender de maneira fracionada produtos que já vem do fabricante em embalagens padronizadas (como cartelas de iogurte e pacotes de papel higiênico, por exemplo). Caso o consumidor se sinta lesado ou tenha passado por alguma situação em que se sentiu prejudicado, deve realizar a denúncia através do telefone 3372-2129 ou na sede do Procon.
Fonte: Prefeitura de Linhares